top of page
Buscar
  • Foto do escritorGeoteste

A diferença entre os ensaios de prova de carga estática e dinâmica


Colagem de duas imagens, na primeira parte a três barras de  ferro sobrepostas a um macaco hidráulico acima de uma estaca de concreto. Na segunda imagem um caminhão dá suporte para um torre com um martelo, também acima de uma estaca de concreto.
Foto: Arquivo Geoteste. Ensaios de prova de carga dinâmica e estática sendo realizados em canteiros de obras

A avaliação da capacidade de carga e comportamento estrutural de estacas é fundamental para o sucesso de projetos de construção. Essa avaliação poderá assegurar não apenas o sucesso, mas também a integridade de uma obra. Dentro desse cenário, a aplicação de ensaios específicos, como o ensaio de prova carga estática e o ensaio de prova de carga dinâmica é uma prática indispensável e exigida pelas normas brasileiras. Este artigo se propõe não apenas a explorar as nuances técnicas dessas metodologias, mas também destacar a importância intrínseca desses ensaios na garantia da segurança estrutural das construções.


Ensaio de Prova de Carga Estática


O ensaio de Prova de Carga Estática (PCE) tem por abordagem a aplicação controlada e gradual de carga à estaca de fundação, permitindo uma análise minuciosa de sua resposta. Esse método oferece uma visão abrangente do comportamento estrutural da estaca sob condições estáticas, simulando, com alta precisão, as cargas que a estaca suportará ao longo de sua vida útil.


Por meio de instrumentação avançada, é possível não apenas determinar a capacidade última de carga, mas também analisar a redistribuição de esforços, deformações e possíveis fenômenos de recalque. Exemplificando, em projetos de pontes ou edifícios de grande porte, onde a estabilidade e segurança são críticas, ensaios estáticos fornecem dados valiosos para otimização do design e mitigação de riscos.



Canteiro de obras com maquinário. No centro da imagem tem três vigas de ferro sobrepostas a um macaco hidráulico para execução de teste de prova de carga estática. Operários trabalham na montagem deste teste.
Foto: Arquivo Geoteste. Realização do teste PCE em estacas da ponte sobre o Rio das Fêmeas, São Desiderio - BA.

Ensaio de Prova de Carga Dinâmica


Contrastando com a abordagem estática, o ensaio de Prova de Carga Dinâmica (PDA) apresenta-se como uma alternativa mais econômica. Nesse método, a aplicação de carga é realizada de maneira dinâmica, por meio de impactos gerados por martelos de queda ou vibratórios. A resposta dinâmica da estaca é monitorada, permitindo a rápida avaliação de sua capacidade de carga em condições de campo.


O ensaio de prova de carga dinâmica destaca-se em situações em que a aplicação de carga estática seria impraticável, seja devido a restrições de tempo ou complexidades do local. Para ilustrar, em projetos de infraestrutura que demandam avaliações rápidas e eficientes, como fundações de prédios e residências, o ensaio é uma escolha pertinente.



Trabalhadores preparam o ensaio de prova de carga dinâmica. Caminhão guincho com suporte para torre de ferro com martelo.
Foto: Arquivo Geoteste. Ensaio de Prova de Carga Dinâmica para testar a capacidade de estacas de fundação em um prédio residencial na cidade de Belo Horizonte, MG.

O que diz a ABNT sobre ensaios geotécnicos


Para regulamentar a prática de ensaios geotécnicos a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) definiu em última resolução, 2022, por meio da NBR 6122:2022 – Projeto e execução de fundações, item 9.2.2.1, que:


"É obrigatória a execução de provas de carga estáticas de desempenho, no decorrer do estaqueamento, em obras que tiverem um número de estacas superior ao valor especificado na coluna (B) da Tabela 6."


Quando atingido o limite de exigibilidade de provas de carga de desempenho (ver Tabela 6), o número de provas de carga deve ser estabelecido da seguinte forma: calcular 1 % do número total de estacas da obra, arredondando para uma casa decimal, e em seguida arredondar o número obtido, com uma casa decimal, para o número inteiro mais próximo, considerando que o dígito 5 sempre é arredondado para cima. Incluem-se nesse 1 % as provas de carga executadas conforme 6.2.1.2.2. A quantidade de estacas a ser considerada é a soma das estacas de todas as edificações da obra, mesmo que de diferentes tipos. Incluem-se as estacas da periferia e das demais construções da obra, não consideradas as estacas exclusivamente de contenção e de muros de fechamento.


Quando atingido o limite de exigibilidade de provas de carga de desempenho (ver Tabela 6), pelo menos uma prova de carga estática ou ensaios de carregamento dinâmico devem ser feitos nas estacas da edificação principal da obra.

É necessária a execução de prova de carga, qualquer que seja o número de estacas da obra, se elas forem empregadas para tensões de trabalho superiores aos valores indicados na coluna (A) da Tabela 6.


Nas obras em que os carregamentos principais provenientes da estrutura, nas condições de utilização mais frequentes durante a vida útil, forem os esforços de tração ou os esforços horizontais, é obrigatória a execução de prova de carga específica à tração ou esforço horizontal, com os mesmos critérios citados nesta subseção.


Em obras de arte especiais (pontes e viadutos), com vão superior a 30,0 m ou com mais de três vãos (quatro linhas de apoio), é obrigatória a realização de ensaio de carga (prova de carga estática ou ensaio de carregamento dinâmico).



Tabela da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) com as especificações para a realização de ensaios de prova de carga.
Foto: Reprodução ABNT

Qual devo realizar em minha obra?


Em resumo, tanto o ensaio de carga estática quanto o ensaio de carga dinâmico desempenham papéis cruciais na avaliação de estacas em projetos de engenharia civil. O ensaio de prova de carga estática oferece uma abordagem detalhada e controlada, permitindo uma análise aprofundada do comportamento da estaca sob condições estáticas. Por outro lado, o ensaio de carga dinâmica destaca-se pela sua abordagem mais dinâmica e eficiente, sendo particularmente útil em situações em que a aplicação de carga estática não seja possível.


A escolha entre esses métodos dependerá das especificidades do projeto, restrições de tempo e recursos disponíveis. Em última análise, a combinação inteligente dessas abordagens pode proporcionar uma compreensão abrangente do desempenho das estacas, contribuindo para a segurança e eficácia das fundações em projetos de construção.

63 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page